COLUNA DO ULHOA | Inspirado em JK governador Ibaneis Rocha tem pautado seu governo em ações e diálogos

0
16

Para o governador do DF, o idealizador de Brasília, Juscelino Kubitschek, se faz válido para o momento político atual, visto que JK teria sido um político do diálogo e da união de forças por um país melhor

Por Cláudio Ulhoa

No último domingo (12), o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), participou de um evento no Memorial JK para celebrar os 119º ano de nascimento do fundador de Brasília, Juscelino Kubitschek. O momento foi bastante simbólico e contou com a presença de autoridades locais e com a presença do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (Democratas) que, assim como JK, é mineiro.

Na ocasião, Ibaneis aproveitou o momento para falar com a imprensa e lembrar a figura do ex-presidente que, nas palavras do governador, era uma pessoa voltada ao diálogo e entendia que a função da política e dos políticos e tentar achar caminhos e soluções para os problemas da sociedade, em especial, para as pessoas mais pobres e que precisam da presença do Estado.

Ibaneis disse ainda que o momento político atual pede que as forças políticas e econômicas se unam em prol da reconstrução de um país que, assim como quase todas as nações do mundo, foram arrasadas com a pandemia de covid-19. A onda do vírus deixou inflação, desemprego, baixa no PIB e ceifou a vida de mais de 500 mil pessoas.

Com um enredo desses, Ibaneis se apresenta como um político que deve adotar a via da composição e não do confronto, com tem feito o seu aliado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ibaneis ainda é parceiro político do presidente – vimos durante a posse do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP) –, mas do outro lado do muro, ou seja, enquanto Bolsonaro busca governar pela pressão, pelo embate, Ibaneis descobriu, assim como fez JK, que, para construir, é preciso estabelecer parcerias e compor com as mais diferentes tendências políticas e ideológicas (pois o país e de todos) e não ficar na busca de formas para conquistar inimigos e cavar trincheiras que levem ao isolamento político e, consequentemente, ao esquecimento das demandas do povo.

7 de setembro de 21

Os atos de 7 de setembro que levaram milhares de pessoas as ruas do país em defesa do governo do presidente Bolsonaro parece que não agradou à senadora Leila Barros (Cidadania). Em suas redes sociais, ela se posicionou contra as manifestações e afirmou que o presidente não governa, mas cria problemas para o país com sua forma “antidemocrática” e “incendiária”.

Danos morais

A 7ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) condenou o deputado estadual do Rio de Janeiro Anderson Moraes (PSL) a indenizar o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), por chamá-lo “canalha” nas redes sociais. Anderson Moraes fez publicação no Facebook e no Instagram com xingamento ao governador do DF após Ibaneis determinar a proibição de circulação de pessoas na Esplanada dos Ministérios, no ano passado.

Segundo a decisão unânime do colegiado, em julgamento na quarta-feira (1º/9), o parlamentar deve pagar 8 mil ao governador.

Laerte Bessa

O deputado federal Laerte Bessa (PL-DF) foi condenado a pagar indenização de R$ 20 mil por danos morais ao porteiro Daniel Clécio Cardoso de Oliveira, agredido pelo parlamentar em novembro de 2019. Na ocasião, foi atingido com um empurrão e um tapa, além de ameaçado de morte por Bessa.

Na decisão, o juiz substituto da 1ª Vara Cível de Águas Claras, Manuel Eduardo Pedroso Barros, afirma que “é possível notar o momento em que o ex-deputado chuta o porteiro”, a partir das imagens do condomínio e que Bessa não apresentou provas. O magistrado criticou a atitude do parlamentar.

PSDB

A decisão unânime da cúpula do PSDB de declarar oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro foi vista por membros da Executiva Nacional da sigla e por parlamentares como uma forma de “marcar posição”.

Para o senador Izalci Lucas (PSDB-DF), por exemplo, líder do partido no Senado e membro da Executiva, a decisão foi importante para esclarecer ao eleitorado que os tucanos não irão referender os arroubos autoritários de Bolsonaro, mas, ao mesmo tempo, não votarão contra pautas que podem contribuir para que o país supere a crise econômica.

Parente e Grass

Conforme divulgou a imprensa local, o ex-secretário de Educação do DF, Rafael Parente, e o deputado distrital Leandro Grass (Rede) estariam nos bastidores tentando formar uma chapa de oposição a uma possível reeleição de Ibaneis Rocha. Seria uma frente ampla, composta também pelos senadores José Antônio Reguffe (Podemos) e Leila Barros.

Interdições

A Secretaria do DF Legal mostrou que de agosto até setembro as interdições em bares e restaurantes que descumpriam as normas de segurança contra a covid-19 mais que dobraram. Se em agosto houve 27 interdições, em setembro esse número foi de 57. Segundo a pasta, os motivos que levaram às interdições foram falta de aferição de temperatura na entrada dos estabelecimentos; falta de álcool em gel; descumprimento da obrigatoriedade do uso de máscara e da realização de eventos com música ao vivo.

As regiões administrativas que mais tiveram estabelecimentos interditados foram Ceilândia, Planaltina, Gama e Plano Piloto. As multas nesses casos podem chegar até R$ 20 mil.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista membro da ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui