- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
domingo, 18 abril, 2021 - 21:07 PM
- PUBLICIDADE -

Goudim diz que Ibaneis está dando dignidade ao Sol Nascente e ao Pôr do Sol

Por Toni Duarte

“ Antes,  a presença de máquinas, caçambas e o Batalhão de Choque no Sol, Nascente e no Pôr do Sol era sinônimo de terror, derrubadas de casas e de prisões de famílias pobres que resistiam. Hoje, a presença desses  equipamentos é para trazer dignidade, desenvolvimento e paz para a comunidade”. Foi o que disse Goudim Carneiro, o líder da periferia que será o primeiro administrador da mais nova cidade regional do DF

É impossível não criar a Região Administrativa Sol Nascente/Pôr do Sol, bem como é impossível não reconhecer Goudim Carneiro (63 anos), como um homem de muitos desafios, entre eles o de tornar uma favela com graves problemas sociais em cidade digna com a ajuda do governador Ibaneis Rocha.

O projeto de lei do Executivo, que transforma o Sol Nascente e Pôr do Sol em cidade administrativa, está pronto para ser votado na Câmara Legislativa.

A promessa de campanha do governador passa do sonho à realidade para os mais de 150 mil moradores da grande comunidade que até o ano passado era alvo de discriminação, de indiferença e ausência do Estado.

Mesmo sem ter assinado a sua nomeação, como futuro administrador regional, Goudim continua fazendo o que sempre fez desde que se arranchou no Sol Nascente, há quase 30 anos.

De tanto ver prosperar as desigualdades sociais, onde milhares de crianças e jovens não tem acessos às escolas e onde as milhares de famílias pobres são discriminadas pelo Estado, o maranhense do Barra do Corda e ex-sindicalista dos trabalhadores da antiga Telebrasília, chamou a atenção da classe política tradicional do DF ao se lançar candidato a governador do sofrido povo da periferia nas eleições do ano passado.

“Não sei até onde eu irei, mas sei que chegarei em algum lugar. Algo de bom pode acontecer para o nosso povo”, previu Goudim, que embora nas primeiras pesquisas de intenções de votos, ter atingido o terceiro lugar, foi derrubado pelo seu próprio partido, o PMB.

A turma da funerária ou os “papa-defuntos”, como são conhecidos os controladores do insignificante Partido da Mulher Brasileira no DF, fez o papel sujo a pedido dos caciques da política brasiliense.

“Nenhum deles queria que eu fosse candidato para que o Sol Nascente e o Pôr do Sol continuasse sendo o curral eleitoral da elite política, seja da direita ou da esquerda, que historicamente sempre dominou o DF”, afirmou.

Embora não tenha logrado êxito com a candidatura de governador, no entanto o homem que ousou enfrentar o poder político  ganhou o assédio e o respeito de todos eles.

De Arruda a Rollemberg, todos passaram pelo “Rancho Preguiça”, principal porta de entrada para chegar ao eleitorado do Sol Nascente e do Pôr do Sol nas eleições de 2018. É lá que fica a morada de Goudim Carneiro.

A mesma casa que a 25 anos atrás passou também o advogado principiante Ibaneis Rocha, hoje o  governador do Distrito Federal.

“O que eu estou fazendo agora é dando sequência a um trabalho que já faço há muitos anos. Eu moro no Sol Nascente antes mesmo do Sol nascer”, disse Goudim ao Radar quando inspecionava  uma força-tarefa do governo enviada pessoalmente por Ibaneis para limpar a nova cidade, cujo trabalho envolveu, de forma voluntária, a comunidade.

Para ele as desigualdades sociais na região que comandará como um  prefeito é bastante visível.

“As pessoas que vieram parar aqui, em muitos casos, vivem em situação degradante por causa da ausência do Estado que nunca teve uma política habitacional decente para o povo do DF. O Sol Nascente terminou nascendo de trás pra frente”, apontou.

Goudim está entre os mais de 150 mil moradores que não tiveram a oportunidade de ter acesso a uma política habitacional do GDF que acha que Brasília foi feita apenas para alguns poucos se esquecendo que aqui é a capital de todos os brasileiros.

“Tenho a absoluta confiança no governador Ibaneis Rocha que está promovendo uma incrível transformação social no Sol Nascente e Pôr do Sol para mostrar ao Brasil e ao mundo como é possível transformar uma favela em uma cidade decente e de verdade”, destacou.

A criação da nova cidade é o sonho de consumo da nossa população que espera ter uma identidade própria e de viver de forma legal.

“Não queremos continuar sendo a comunidade em que os ricos se compadecem distribuindo cesta-básicas ou dando um presentinho as nossas crianças pelo seu dia ou no Natal. O que nós queremos é dignidade” afirmou Goudim.

Ele acredita que a dignidade da sua gente virá quando os jovens da região conseguirem a possibilidade de ter qualificação e certificação para se engajarem ao mercado de trabalho.

“Precisamos valorizar o empreendedor que não pode ser tratado como um bandido como fizeram os governos  passados”, sustentou.

Goudim lembrou que o governador Ibaneis conhece ele há quase 30 anos como morador do Sol Nascente.

“Ele esteve na minha chácara há 25 anos e sabe da minha luta por aqui. Eu tenho absoluta certeza que ele vai mudar a história do nosso povo e eu quero ser parte dessa mudança”, pontuou.

O projeto do Executivo, que cria a região administrativa do Sol Nascente/Pôr do Sol, ainda precisa ser aprovado pela Câmara Legislativa, fato que ocorrerá nos próximos dias, segundo confirmou ao Radar o deputado  Rafael Prudente, presidente da Casa.

“Tenho a certeza que nenhum dos 24 deputados, que andaram pelo Sol Nascente e pelo Pôr do Sol votará contra o maior anseio da nossa população que é a nossa independência”, acredita Goudim Carneiro.

Fonte: RADAR-DF

Nos siga no Google Notícias
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Sírio-Libanês e DF Star passam a atender o plano GDF Saúde

Beneficiários têm à disposição rede credenciada com sete hospitais gerais, 12 hospitais especializados, quatro laboratórios e quase duas mil...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

%d blogueiros gostam disto: