- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
segunda-feira, 26 fevereiro, 2024 - 01:33 AM
- PUBLICIDADE -

Protegendo Vidas | Mais de mil monitoramentos refletem o compromisso do DF na segurança da mulher

Serviço de Proteção à Mulher do Distrito Federal utiliza tecnologia para prevenir feminicídios e fortalecer medidas protetivas, registrando mais de mil ações em 2023

No decorrer dos 11 meses deste ano, o Serviço de Proteção à Mulher, vinculado à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), realizou 1.053 monitoramentos de Medidas Protetivas de Urgência (MPU). Essa ação abrange vítimas e agressores e utiliza dispositivos como o Dispositivo de Proteção à Pessoa (DPP), tornozeleiras eletrônicas para agressores e o aplicativo Viva Flor.

O secretário de Segurança Pública do DF, Sandro Avelar, destaca o compromisso com a integridade e a segurança das mulheres por meio do programa DF Mais Seguro – Segurança Integral. O enfrentamento à violência contra a mulher é uma prioridade, refletida nos 28 casos de prisões por descumprimento das medidas judiciais.

A secretária da Mulher, Giselle Ferreira, ressalta a importância dos dispositivos de proteção em conjunto com programas de acolhimento. A sensação de medo enfrentada por vítimas de violência doméstica é mitigada com essas ferramentas, contribuindo para a prevenção do feminicídio.

O monitoramento abrange 488 pessoas, sendo 211 mulheres protegidas pelo DPP e 277 agressores com tornozeleira eletrônica. A eficácia do sistema preventivo é evidenciada pelas 28 prisões, enquanto o ideal é a ausência de detenções.

O Dispositivo de Proteção à Pessoa, por meio de georreferenciamento em tempo real, permite o acompanhamento 24 horas por dia. O secretário executivo de Segurança Pública, Alexandre Patury, destaca a rapidez na intervenção para garantir a tranquilidade das mulheres.

O aplicativo Viva Flor, ampliado em outubro, oferece um canal direto de comunicação entre a vítima e a equipe de segurança. A subsecretária de Prevenção à Criminalidade, Regilene Siqueira, ressalta a importância do Viva Flor na prevenção de crimes de gênero.

Com 548 mulheres monitoradas até novembro, o Viva Flor foi expandido para as Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher I e II, proporcionando atendimento imediato. A delegada Carolina Litran destaca a rápida aceitação do dispositivo pelas mulheres, fortalecendo a sensação de segurança.

A entrega do dispositivo em delegacias ocorre em casos específicos, como tentativas de feminicídio e descumprimento de medidas protetivas. A ação visa acelerar o atendimento e fortalecer a segurança das vítimas.

Essas iniciativas consolidam o Eixo 3 do programa DF Mais Seguro, reforçando o compromisso do Governo do Distrito Federal na proteção integral das mulheres e no enfrentamento à violência doméstica e familiar.

Nos siga no Google Notícias
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Que fazer parte do nosso grupo no Wpp?