Senadora Leila do Vôlei deixa PSB e ingressa no Cidadania

0
491
Leila do Vôlei recebeu cerca de R$ 3 milhões do PSB na campanha em que foi eleita, em 2018

Em nota, a parlamentar justifica sua saída ao dizer que no novo partido ela poderá “desempenhar uma atividade mais eficaz e organizada no Senado”; nos bastidores, existe a informação de que ela deve vir como candidata ao GDF pelo novo partido

Por Cláudio Ulhoa

Não é de hoje que a saída de senadora Leila do Vôlei (Leila Barros) do Partido Socialista Brasileiro (PSB) vem sendo anunciada à boca miúda. Mas nesta quarta-feira (4/8), a assessoria de imprensa da senadora divulgou uma nota em que relatava a saída da parlamentar do PSB para ingressar no Cidadania. A nota faz um breve agradecimento e justifica a saída de Leila como uma forma que ela encontrou para poder “desempenhar” sua atividade parlamentar de maneira “mais eficaz e organizada”.

Ainda segundo a nota, esse nova forma de trabalhar seria acompanhada por outros dois senadores do Cidadania; a senadora Eliziane Gama (MA) e Senador Alessandro (SE). Como já dito, a notícia já era esperada, mas, conforme divulgação feita pela imprensa local, a defecção da senadora causou mágoas nas principais lideranças do partido, entre elas, o ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg, que teria se sentido “traído” pela com a postura política de Leila.

Na nota divulgada à imprensa, Leila agradece ao PSB e afirma sua gratidão ao partido, além de ressaltar que está ciente de sentimentos que essa deserção pode causar aos agora antigos correligionários. “Leila agradece a acolhida dada pelo PSB, tanto ao nível nacional quanto distrital, e ressalta que mal-entendidos e possíveis mágoas diante da sua decisão não a impedirão de continuar ao lado dos colegas da legenda nas lutas comuns.”

Rollemberg, principal liderança do partido tanto ao nível distrital quanto nacional, teria se sentido traído pela senadora

Os “mal-entendidos” e as “mágoas” que a senadora menciona tem seu lastro real. Conforme divulgado pelo Portal Radar/DF, dias antes da senadora deixar a legenda, o PSB nacional já estava às turras com a parlamentar na Justiça.

Segundo matéria divulgada pelo portal Radar/DF, o PSB ajuizou, no último dia 27 de julho, uma ação monitória contra a parlamentar para cobrar uma suposta dívida de R$ 102.481,75, decorrente do não recolhimento da contribuição financeira mensal devida por filiados do PSB com mandato eletivo, prevista no Estatuto partidário. A ação tramita na 22ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

Além disso, o partido também teria informado que pretende pedir na Justiça o mandato da senadora, alegando que custeou, com fundo eleitoral, toda a campanha da ex-atleta olímpica. Por fim, o PSB avalia a possibilidade de aprovar uma resolução proibindo o PSB-DF de fechar coligação com o partido de Leila, caso ela seja candidata a governadora.

O capital político da senadora, por ser uma já ser uma pessoa conhecida no mundo dos esportes, foi decisivo para que ela se alçasse a senadora, mas, além disso, o PSB investiu R$ 3 milhões em sua campanha, mais do que teria sido investido na campanha de Rollemberg (R$ 2,8 milhões).

Agora, Leila adentra as fileiras do Cidadania comandado por Roberto Freire. A legenda utiliza da prática do “centralismo democrático”, ou seja, Freire decide. Portanto, será ele quem decidirá se Leila será ou não a candidata do Cidadania ao GDF em 2022.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro  ABBP