Tóquio: top 10, Sátila tem melhor resultado do país na canoagem slalom

0
148

O Brasil começou bem a madrugada desta quinta-feira (30) com a atleta Ana Sátila chegando pela primeira vez na história à uma final olímpica da canoagem slalom. A medalha na prova da canoa (C1) nos Jogos de Tóquio (Japão) não veio: a mineira terminou na 10ª posição (tempo de 164s71), após ser punida por não ter cruzado uma das 25 balizas do circuito. O ouro ficou com a australiana Jessica Fox (105s04), a prata com a britânica Mallory Franklin (108s68) e o bronze com a alemã Andrea Herzog (111s13). 

Mesmo fora do pódio, Sátila também protagonizou outro feito inédito: tornou-se a única mulher do país a brigar por medalhas na modalidade. O Brasil conta ainda com Pepê Gonçalves, classificado para a semifinal no caiaque (K1) às 2h (horário de Brasília) desta sexta (30). A final do K1 será na sequência, às 4h. 

“Estava me sentindo tão preparada. Antes eu estava muito feliz de fazer a final, de ser a primeira mulher, de estar entre as dez melhores dos Jogos Olímpicos. E eu dei o meu melhor. A penalidade que tive foi tentando alcançar a medalha. Sabia que já tinha cometido alguns erros e tentei melhorar, mas a penalidade me custou muito. Estou muito decepcionada”, lamentou Sátila logo após a prova, em depoimento ao site da Confederação Brasileira de Canoagem 

Para se classificar à final, Sátila se classificou em terceiro lugar (114,27) na semifinal, ficando à frente, inclusive, da britânica Mallory Franklin (117s75) e Andrea Herzong (tempo de 112s61, mas com duas penalidades), que horas depois, na final, ficaram em segundo e terceiro lugares, com prata e bronze, respectivamente.

 

Fonte: Agência Brasil