- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
segunda-feira, 15 julho, 2024 - 05:24 AM
- PUBLICIDADE -

São Paulo reúne mais de 156 mil bares e restaurantes

Um levantamento da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo (AbraselSP) mostrou que a capital paulista tem, atualmente, mais de 156 mil bares e restaurantes. Os estabelecimentos estão espalhados em diversos bairros da cidade, tanto em polos gastronômicos tradicionais quanto em regiões predominantemente residenciais.

De acordo com a entidade, a oferta gastronômica em São Paulo é variada, abarcando diferentes culturas, sendo possível encontrar 55 tipos de culinárias diferentes. A pesquisa revelou, por exemplo, que há 6,6 mil pizzarias na capital paulista, o que corresponde a mais de um terço do total do país. A cidade tem, ainda, 4,1 mil restaurantes japoneses e 60 restaurantes coreanos, culinária que tem apresentado crescimento nos últimos anos na cidade. 

Bares e restaurantes em São Paulo

A AbraselSP constatou, através do levantamento, que os bares e restaurantes de São Paulo não estão concentrados apenas em bairros nobres. A representatividade do setor também ganhou força na periferia, segundo a entidade, principalmente após a pandemia. Tanto que em alguns bairros a quantidade de bares e restaurantes é 50% maior do que em polos gastronômicos tradicionais, como o bairro da Liberdade e Moema.

O Grajaú é um exemplo disso. Localizado na zona sul, o bairro com pouco mais de 500 mil habitantes tem 2.684 bares e restaurantes. Outro bairro que se destaca pelo número de estabelecimentos é Brasilândia, na zona norte da capital paulista. Com 264.918 mil habitantes, o bairro periférico tem 1.764 bares e restaurantes e supera, por exemplo, lugares como Moema, com 730 estabelecimentos, e Bela Vista, com 456.

Com 1.669 estabelecimentos, o Capão Redondo aparece na terceira posição do levantamento da AbraselSP de bairros da periferia de São Paulo com mais bares e restaurantes. Na sequência, vem Pirituba (1.628), Cidade Dutra (1.618), Jaraguá (1.492), Jardim Ângela (1.487), Tremembé (1.441), Itaquera (1.359) e Campo Limpo (1.342). A diversificação das regiões mostram que as ofertas gastronômicas tiveram um aumento no mapa de São Paulo.

Já os polos gastronômicos com maior quantidade de estabelecimentos atualmente, segundo a pesquisa, são o Itaim Bibi, na zona oeste, com 1.948 bares e restaurantes, e o Tatuapé, na zona leste, com 1.127. 

Em terceiro lugar, o bairro de Pinheiros, também na zona oeste, abriga 1.110 estabelecimentos, entre eles um dos 100 melhores do mundo, o Tan Tan, que conquistou a 56ª posição no World’s 50 Best Bars Awards 2023.

Pinheiros também tem alguns dos melhores restaurantes da América Latina, como o Evvai, o Maní, o Metzi e o Nelita, premiados pelo Latin America ‘s 50 Best Restaurants, da revista britânica Restaurant. De acordo com o levantamento da AbraselSP, os outros polos gastronômicos tradicionais de São Paulo conforme o número de bares e restaurantes são Santana (1.022), Vila Mariana (965), Moema (730), Jardim Paulista (717), Bela Vista (661), Liberdade (456) e Barra Funda (340). 

Setor gera renda e trabalho para milhares de pessoas

A AbraselSP pontuou também que as empresas ainda enfrentam dificuldades financeiras, sobretudo devido à inflação e às dívidas adquiridas com bancos no período da pandemia. Uma pesquisa recente da entidade revelou que 49% dos empresários do setor não conseguiram reajustar os preços de seus produtos de acordo com a inflação, 18% reajustaram abaixo da inflação e 31% não alteraram os preços. Como consequência, 52% dos bares e restaurantes de São Paulo operaram sem lucro em dezembro de 2023. Destes, 18% registraram prejuízo e 34% ficaram estáveis.

A pesquisa da AbraselSP ainda afirma que a atitude dos empresários resultou em uma desaceleração da inflação da alimentação fora do lar em janeiro, que ficou abaixo do nível médio dos setores brasileiros. De acordo com o Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto o índice geral ficou em 0,31%, o setor de alimentação fora do lar registrou uma inflação de 0,24%.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), publicados pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, apontam que, em 2023, estabelecimentos de Alimentação Fora do Lar empregaram formalmente cerca de 218 mil pessoas.

Além disso, o setor de bares e restaurantes registrou um aumento de 3,3% nas contratações em 2023, superando a média nacional de 0,9%, de acordo com dados recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), tornando-se um importante vetor de São Paulo, impulsionando o número de novos trabalhadores formais e, consequentemente, melhorando a renda de milhares de pessoas.

Nos siga no Google Notícias
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Que fazer parte do nosso grupo no Wpp?