- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
segunda-feira, 26 fevereiro, 2024 - 01:04 AM
- PUBLICIDADE -

Fim de ano no Brasil: consumidores planejam gastar R$ 2.500

O fim de ano traz uma tradição e necessidade de presentear pessoas e adquirir novas compras. Isso acontece em todo o mundo, não sendo diferente no Brasil. Todos os anos, os consumidores brasileiros se mobilizam para comprar presentes para amigos, familiares e para si mesmos, como forma de comemoração.

Segundo a pesquisa da Meta, “Expectativas da Temporada de Compras 2023”, realizada em setembro de 2023, com a participação de 1.000 consumidores brasileiros, maiores de 18 anos, 89% dos consumidores planejam realizar compras para o final do ano. A análise abordou tópicos como: intenção de compra, preferências de produtos, canais, orçamento e tendências de consumo.

Ainda segundo a pesquisa, as categorias mais procuradas são classificadas em:

  • Alimentos (73%)
  • Saúde e beleza (60%)
  • Aparência e moda (58%)
  • Eletrônicos (57%)
  • Eletrodomésticos (55%)

O valor médio das compras de fim de ano no Brasil é de R$ 2.500,00. No entanto, esse valor pode variar de acordo com a renda e o perfil do consumidor.

De acordo com informações fornecidas pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), prevê-se um incremento de 5,6% nas vendas desta temporada, em comparação com o ano anterior. Além disso, a projeção indica a contratação de aproximadamente 108,5 mil trabalhadores temporários, representando a maior oferta de empregos temporários desde o mesmo período em 2013.

Expectativas de lucro do comércio no final de 2023

As expectativas para o lucro do comércio no final de 2023 são positivas. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o setor deve registrar um crescimento de 4,0% em vendas em relação a 2022, o que equivale a um faturamento de R$ 1,2 trilhão.

Esse crescimento é impulsionado por uma série de fatores, incluindo a recuperação da economia brasileira, o aumento da renda das famílias e o crescimento do e-commerce.

A recuperação da economia brasileira é um fator importante para o crescimento do comércio. O PIB brasileiro deve crescer 2,5% em 2023, o que pode gerar mais empregos e renda para as famílias. Com mais dinheiro no bolso, as pessoas estão mais propensas a consumir, o que impulsiona as vendas.

De acordo com o IBGE, o rendimento médio real das famílias brasileiras cresceu 1,0% em 2022. Esse aumento deve continuar em 2023, o que deve gerar mais poder de compra para a população.

O crescimento do e-commerce é outro fator que impulsiona o lucro do comércio, que deve crescer 15,0% em 2023, o que equivale a um faturamento de R$ 185,7 bilhões. Esses dados foram impulsionados pela pandemia de COVID-19, que levou as pessoas a comprarem mais online.

Com base nessas expectativas, é possível projetar que o lucro do comércio no final de 2023 também deve crescer. O valor é calculado como a diferença entre as vendas e os custos. Com o crescimento das vendas, o lucro do comércio deve aumentar.

Risco de endividamento

As compras de fim de ano podem ser um momento de grande consumo, o que pode levar ao endividamento. De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 23 milhões de consumidores devem usar o 13º salário para compras de presentes de Natal e a maioria dos consumidores não monitora suas despesas quando utiliza o cartão de crédito.

É importante lembrar que o uso do cartão de crédito deve ser feito com responsabilidade. O consumidor deve se planejar para pagar as parcelas do cartão em dia, para evitar juros e dívidas.

 “As compras de fim de ano são um importante momento para o comércio, mas é importante que os consumidores se planejem para não se endividarem”, afirma o economista José Francisco Lima Gonçalves.

Usando o limite do cartão de crédito

A obtenção de recursos instantâneos do limite de crédito, também denominada Pix Card, surge como uma alternativa disponível no mercado. Apresentando taxas iniciais de 3,99% ao mês, esse sistema proporciona períodos de reembolso que oscilam entre 2 e 12 meses, além de oferecer um processo de contratação totalmente online. Para aqueles que buscam restaurar prontamente o limite do cartão, a escolha de antecipar o pagamento sem a aplicação de carência é uma opção viável.

Gonçalves sugere que a elaboração de um orçamento e a determinação do limite de gastos são passos importantes para o consumidor. Além disso, destaca a importância de uma pesquisa prévia de preços como uma medida preventiva para evitar desembolsos excessivos.

Dessa forma, o Pix Card  evita o uso do 13° salário e o endividamento, sem afetar as compras de presentes. As aquisições de fim de ano são um momento de alegria e celebração, mas é importante lembrar que o consumo deve ser feito de forma responsável.

Nos siga no Google Notícias
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Que fazer parte do nosso grupo no Wpp?